Tendências do Varejo

Eles não vendem carros. Eles oferecem as melhores experiências para você, consumidor

09/08/2019

Executivos da Divisão Comércio do Grupo Águia falam sobre os principais desafios de quem atua no varejo hoje em dia e contam como estão sobrevivendo ao mercado hi-tech

É como se fosse um jogo de cabo de guerra. Puxando a corda de um lado está o varejo e seus desafios. Do outro, a transformação digital dos negócios, irreversível no mundo de hoje.

E no meio dessa batalha está o consumidor, com sua vontade de experimentar coisas novas convergindo às múltiplas oportunidades oferecidas pelo mercado. Quem ganha essa batalha de gigantes?

“Vai ganhar o jogo quem conseguir se relacionar melhor com o cliente”, responde o Diretor Comercial da Divisão Comércio do Grupo Águia Branca, Marcelo Tinti.

Essa fórmula do relacionamento, contudo, não acontece num passe de mágica. Existe por trás dela um processo que está intimamente ligado aos desafios do varejo e também à sua longevidade e relevância para o consumidor. Quem chama atenção para esse movimento é o Diretor-executivo da Divisão, Uarlem Oliveira.

“Antes de nos relacionarmos com nosso público, precisamos ser ‘a’ opção dele. E ser essa opção é o grande desafio a ser vencido para quem atua no varejo”, opina.

Nessa corrida, as grandes marcas, aquelas com maior valor agregado, saem na frente. Só que elas, por si só, não garantem mais nada, alerta Oliveira. Para ganhar a disputa do cabo de guerra e levar o cliente para o seu lado, as marcas precisam lançar mão de um processo de prestação de serviços pautado na qualidade e que, acima de tudo, esteja alinhada ao desejo de quem quer encantar.

“É o que chamamos de experiência do cliente. Não chamamos nosso cliente para ir à loja comprar carro, nós fazemos um evento e o convidamos. E neste ambiente agradável, atrativo, ele pode ver, gostar e comprar um veículo. É isso que vai fazer com que sejamos relevantes. É mais do que satisfazê-lo, e gerar uma boa experiência”, argumenta Marcelo Tinti.

Caminho sem volta

Além do olhar atento ao consumidor, a análise de mercado é outro ponto crucial para a sobrevivência do varejo no mundo tecnológico. Oliveira e Tinti estão vivendo isso na pele.

Há 15 anos, aproximadamente, uma das marcas de veículos comerciais que integra a Divisão Comércio estava representada por meio de uma loja, na Reta da Penha, em Vitória.

Atualmente, são cinco, somente na Grande Vitória. “Tivemos que pulverizar lojas, abrir mais pontos de atendimento, ir ao encontro do cliente”, destaca o diretor-executivo. E o diretor comercial completa. “Precisamos investir muito mais porque o mercado, cada vez mais desafiador e competitivo, exige isso. Este é um caminho sem volta”.

voltar

empresas do grupo

passageiros

logística

comércio