Atividade física em palestra do Projeto Cuidar

Atividade física: se jogue e viva mais, e com saúde!

19/06/2019

Já virou rotina! A pessoa tem sua rotina de malhação e consegue até ser bem disciplinada, na primavera e no verão. Pois basta a meia estação chegar, trazendo temperaturas um pouco mais baixas, que a bolsa e roupas de academia costumam ser esquecidas.

Comportamento nada assertivo, segundo a fisioterapeuta do Viver Unimed Priscila Celeste, pois atividade física precisa fazer parte do dia a dia de qualquer um. E isso não tem nada a ver com a necessidade de ser magro, com dieta ou peso na balança.

“No mundo, uma em cada quatro pessoas não faz atividade física e no Brasil 47% da população é sedentária. A situação chegou a um nível que muitos profissionais da saúde já consideram o sedentarismo como o mal do século”, alerta, completando em seguida. “Quem não faz exercício tem mais chance de desenvolver problemas cardiovasculares ou até mesmo doenças como câncer e diabetes”.

E antes que você pense em dizer que não se movimenta porque lhe falta tempo, se ligue na dica de Priscila.

“Falta de tempo é a primeira desculpa do ranking, mas podemos combatê-la, por exemplo, subindo escadas. Para os que alegam falta de dinheiro, lembro do calçadão e da praia, atividades gratuitas e ao ar livre. E para aqueles que falam de cansaço e preguiça, fica meu alerta, pois esses são os primeiros sintomas do sedentarismo. Importante lembrar que não existe atividade física ideal, mas objetivos a serem alcançados. E exercício é sinônimo de qualidade de vida, saúde e longevidade”, finaliza ela, que esteve no Grupo Águia Branca em mais uma ação do Programa Cuidar.

Programa corporativo que tem como objetivo acompanhar de perto a qualidade de vida das pessoas que trabalham no Grupo e contribuir para a promoção do bem-estar e o uso consciente do plano de saúde, o Cuidar tem promovido regularmente workshops e oficinas de saúde em todas as empresas da Águia Branca.

“Embaixadores” da saúde

E se o assunto é manter o corpo em movimento, o contador da Holding Lissandro Augusto Dilkin, da Holding, e o analista de projetos Carlos André Fraga, da DTI, têm boas histórias para compartilhar. Confira!

“Sempre fui adepto de atividades ao ar-livre. Já adulto, com 29 anos, fiz o curso básico de escalada em rocha, e não parei mais. Ela é hoje é meu hobby, meu esporte, por diversos motivos. A atividade me proporciona interação com amigos, pois sempre é necessário alguém para lhe dar segurança, e sempre gera o contato com a natureza. Por ser considerado um esporte radical, exige alto grau de concentração, o que favorece o estado de flow (atenção total na atividade que estamos realizando). A busca por “encadenar” (quando o escalador completa o percurso usando apenas suas habilidades, técnicas e força, sem se apoiar na corda ou em equipamentos) vias cada vez mais difíceis faz com que os treinos indoor sejam intensificados, e com isso a atividade deixa de ser a atividade do final de semana e passa a ser o esporte do dia-a-dia. Isso sem falar na possibilidade de sempre conhecer lugares novos…”, conta Lissandro, que tirou essa foto enquanto escalava em Arco, na Itália.

“Para mim, ser adepto de atividade física não é simplesmente por conta dos benefícios que traz, é um estilo de vida. Desde que comecei a fazer o cross training sinto que muita coisa mudou para melhor em minha vida. Encontrei nele a minha atividade física, pois é a junção de força física e exercício aeróbico, cujos benefícios são muito grandes. Tenho disposição para fazer meus afazeres diários, minhas noites de sono melhoraram muito e meu vigor físico também está melhor. Costumo visitar diversas bases do Grupo e para isso não posso ter preguiça, pois preciso me deslocar bastante, descer e subir escadas… Disposição é quase um pré-requisito. E o cross training me proporciona isso”, comenta Carlos André.

E você, já fez seu exercício hoje?

voltar

empresas do grupo

passageiros

logística

comércio